Luís Guilherme Monzon

Baterista

“Romeu Sampaio é um homem bastante aficionado, sempre que estou com ele, traz sempre alguma historia do trabalho, espirito compromissivo e uma pessoa de conhecimento de espirito, homem dos mil oficios.
Através dele, nascem discussões, sobre os temas mais derivados, desde futebol a politica, desde a temática do ambiente a filosofia, desde a diversão, ao trabalho árduo, acho que este aspecto, de conhecimento objetivo, das diversas áreas, do sistema e todo o que envolve, revê-se na maneira como aborda o trabalho musical, nas suas composições, são um reflexo, do seu dia a dia, do contacto sistemático, com a supremacia da realidade.
Focando-me na sua identidade, após estes anos trabalhando com na Multidão, as historias de aventuras e a minha opinião sobre ele, poderia continuar por horas a fim, para mim ele que me tem acompanhado, desde que estou no secundário, e desde que comecei a minha vida académica, é uma pessoa que me ajudou bastante no desenvolvimento da minha maturidade social cultural e pessoal, pois ele tem experiencia e sabedoria e não tem problemas em o transmitir.
A cerca de a dois, teve a brilhante ideia, de que eu precisava de ter um pouco mais de responsabilidade, e experiência de trabalho, o que ele me propôs foi nada mais nada menos de que uma experiencia traumatizante (ahahaha), estava eu em vésperas de iniciar o meu curso, e eu pelos meus queixumes, de que as ferias foram poucas, e deveria ser mais, de não ter fundos, monetários, para pelo menos poder pagar os meus almoços no refeitório, bem uma epifania de agustia perante esta jornada académica, que o Romeu me propôs a mim e ao Jimi, uma aventura de trabalho, propôs-nos uma ida às vindimas, de uns 4 dias, um serão fantástico, de trabalho árduo e bons momentos, o ambiente na banda é espirito de equipa e entre ajuda, uma experiencia que marca as nossas vidas.”